Tangará da Serra: Veto do Ministério Público a Grapéggia no SAMAE irrita Vander

Espalhe o amor
Foto Reprodução

Por Alceu Grappégia dirigindo o Samae, o prefeito de Tangará da Serra Vander Masson do PSDB tem promovido uma verdadeira queda de braços com a Câmara Municipal, que por 9 a 4 vetou a ida do aliado do tucano para o comando da autarquia por não preencher o requisito básico para o cargo de escolaridade, e agora nessa disputa de poder teve de entrar o Ministério Público.

Masson não engoliu a votação da Câmara, deu a Alceu um cargo de assessoramento vinculado a seu gabinete e o mandou cuidar do Samae. “Alceu é basicamente os olhos do Vander lá no Samae. Ele quer o Alceu e ponto final”, disse uma pessoa da gestão.

O detalhe é que nem sempre o querer de Masson é o que pode valer. “Na gestão existe uma espécie de conselho político composto ali por uns quatro ou cinco cabeças do governo. Já presenciei embates entre eles questionando o prefeito do porque manter o Alceu, sofrendo desgaste político com isso. Mas o Vander não aceita mudar de ideia”, disse ainda o membro da equipe.

Com Grappégia conduzindo o Samae na prática, mesmo a autarquia tendo um diretor nomeado, o então diretor operacional do órgão Lucio Justi atuava como figuração na autarquia, situação que o fez pedir demissão do cargo de chefe da pasta.

Ao tomar ciência do que estava ocorrendo no Samae, a Promotora de Justiça Fabiana da Costa Silva Viera, da 3º Promotoria Cível de Tangará emitiu uma notificação recomendatória ao prefeito para vetar qualquer ingerência de Alceu na autarquia. Com a notificação, o prefeito tratou de ordenar o retorno de Alceu para seu gabinete onde permanece como assessor direto do prefeito. “O Alceu vai pro gabinete e isso deixou o Vander irritado, pois ele insistia no Alceu lá no Samae”, revelou.

Por Silvio Joabe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *