Tangará: Prefeito busca diálogo com Governo e Judiciário para evitar medidas restritivas mais duras em Tangará da Serra

Espalhe o amor
Foto Reprodução

O prefeito municipal, Vander Masson, está dialogando com o Governo do Estado e com o Poder Judiciário de Mato Grosso com o intuito de evitar a adoção de medidas restritivas mais duras em Tangará da Serra. O diálogo foi iniciado após a classificação do município com Risco Muito Alto de contaminação pela COVID-19, conforme consta no Boletim Informativo n° 394 divulgado nesta terça-feira, dia 06/04, pela Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT).

De acordo com o prefeito, somente após diálogo com os dois poderes, um novo decreto será emitido pelo Município. O objetivo é buscar um entendimento e editar medidas mais brandas, sem a quarentena obrigatória, sem fechamento de comércio e sem a implantação de barreiras sanitárias, conforme previsto em Decreto Estadual

Vander defende junto ao Judiciário e ao Governo, que Tangará da Serra possa adotar medidas similares às adotadas pelo Município de Cuiabá. “O mesmo tratamento que foi dado para a capital do estado, nós queremos também, tanto do Governo do Estado quanto da Justiça. Somos mato-grossenses assim como os residentes em Cuiabá”, defendeu.

O decreto municipal regulamentando a situação só será divulgado no início da noite, após as 18 horas. “Desenvolvemos várias ações no início do ano, fizemos o dever de casa e, por isso, protocolamos documento junto ao Governo do Estado e ao Judiciário, estamos aguardando uma reunião ainda agora a tarde, para que a gente possa definir as diretrizes do nosso decreto que será divulgado após as 18 horas de hoje”, disse.

O prefeito voltou a pedir para que a população faça a parte dela para evitar que a doença se agrave e assim diminua o número de internamentos tanto em UTI como em enfermaria. Isso ocorrendo a cidade volta para patamares baixos na classificação de risco de contaminação, não sendo necessárias medidas restritivas duras. “Vamos evitar aglomerações, vamos cada um de nós fazer a nossa parte que daí evitamos medidas mais duras”, disse.

Assessoria de Comunicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *