Tangará: Classificação como “Risco Muito Alto” para COVID expõe fragilidade do combate em Tangará da Serra

Espalhe o amor
Foto Reprodução

A cidade de Tangará da Serra (240 km de Cuiabá) foi classificada no boletim de ontem da SES-MT como Risco Muito Alto de contaminação para COVID-19. Essa nova classificação adotada pela Saúde do Estado expõe uma realidade preocupante, capaz de demonstrar toda a fragilidade da política de combate e enfrentamento ao vírus adotada pela atual gestão.
Ao assumir a prefeitura em 1º de janeiro o atual prefeito Vander Masson do PSDB recebeu a cidade com cerca de 100 óbitos registrados em decorrência do vírus. Essa centena de mortes levou nove meses para atingir esse patamar, ou seja, cerca de 270 dias para atingir esse nível de mortalidade
Em menos de 80 dias sob a nova política de enfrentamento ao vírus, Tangará já acumulou 78 novos óbitos. Os dados do índice de mortalidade no município foram divulgados hoje pela Vigilância Epidemiológica. A porcentagem de ocupação dos leitos de UTI está em 92% e a cidade que durante todo o ano de 2020 foi considerada Risco Baixou o Risco Moderado passou para a classificação de Risco Muito Alto para COVID.

PREFEITO RECUSOU NOVAS UTIS

Mesmo considerada pela SES-MT como Risco Muito Alto para COVID, Tangará da Serra não foi contemplada pelo governo do Estado como uma ampliação nos números de leitos de UTI. Isso por o prefeito Vander Masson optou por não passar os atuais 13 leitos do município para a regulação do Estado. Com a recusa da gestão o Estado deixará de implantar pelo menos 30 novos leitos na cidade.

Por Silvio Joabe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *